avaliação das condições de oferta dos cursos de graduação

Ação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) do Ministério da Educação (MEC) que visa avaliar “in loco” cada um dos cursos de graduação submetidos ao Exame Nacional de Cursos (Provão). O processo de avaliação é orientado por um roteiro de visitas onde são observados e avaliados os seguintes quesitos: qualificação do corpo docente, organização didático-pedagógica e instalações, em especial, bibliotecas e laboratórios. Os conceitos atribuídos às condições das universidades podem variar entre: muito boas (CMB), boas (CB), regulares (CR) ou insuficientes (CI).

Segundo o MEC, as visitas de avaliação são realizadas por professores com qualificação acadêmica e profissional, das mais conceituadas universidades do país, que ainda são orientados por comissões de especialistas em treinamentos realizados pelo próprio MEC. As comissões de avaliação são formadas por dois ou três professores, e as visitas duram em média dois dias. O Inep, que também é responsável pelo Provão, tem a responsabilidade sobre essa avaliação desde 2001, o que antes estava a cargo da Sesu (Secretaria de Ensino Superior do ministério da Educação).

A avaliação das condições de oferta dos cursos surgiu, de acordo com o MEC, para ser um instrumento do governo de controle da qualidade do ensino na graduação do país. Dessa forma, os cursos que obtêm nota muito baixa na avaliação correm o risco de ser fechados.

COMO CITAR ESTE CONTEÚDO:
MENEZES, E. T; SANTOS, T. H. Verbete avaliação das condições de oferta dos cursos de graduação. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2001. Disponível em <https://educabrasil.com.br/avaliacao-das-condicoes-de-oferta-dos-cursos-de-graduacao/>. Acesso em 23 fev. 2024.

Comente sobre este conteúdo: