Ensino da saúde na escola

Tese de doutorado revela que a discussão do ensino da saúde na prática docente cotidiana constitui uma promessa distante, tendo-se em vista o modo eleito para alfabetizar e a atitude da professora frente ao ensino dessa temática. As conclusões são da doutoranda Maria de Lourdes Spazziani, que defenderá hoje, às 14 horas, sua tese, cuja proposta é a de investigar as práticas pedagógicas do ensino da saúde em uma classe do ciclo básico em que a perspectiva histórico-cultural foi utilizada como instrumento de análise.

A primeira parte de seu trabalho apresenta um estudo teórico sobre a medicalização, os saberes em saúde e os pressupostos da perspectiva histórico-cultural que orientaram as questões da pesquisa. A parte empírica fundamenta-se na investigação etnográfica, que possibilitou focalizar e interpretar as interações entre pesquisadora, professora e alunos e revelar as dificuldades e as perspectivas dessa área temática a partir dos pressupostos apresentados por Vigotski para a formação de conceitos.

As intervenções de Spazziani, ao priorizar o diálogo com as crianças, propiciaram a explicitação do conhecimento do mundo empírico sobre temas de saúde e sua aproximação do saber sistematizado, contemplando as necessidades e interesses das crianças e revelando-se mais adequadas as novas proposições curriculares.

“Ouvindo Vigotski… Dialogando com Crianças… Possibilidade de uma Nova Prática Pedagógica para o Ensino da Saúde na Escola”, tese de doutorado de Maria de Lourdes Spazziani. Área: psicologia educacional. Orientadora: profa. dra. Cecília Azevedo Lima Collares, da Faculdade de Educação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Defesa em 29 de novembro, na Unicamp – sala de aula ED 13 – prédio anexo – 2° andar.

COMO CITAR ESTE CONTEÚDO:
SANTOS, T. H. Ensino da saúde na escola. EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 1999. Disponível em <https://educabrasil.com.br/ensino-da-saude-na-escola/>. Acesso em 29 fev. 2024.

Comente sobre este conteúdo: